segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Especialidade de Modelagem e Fabricação de Sabão

Especialidade de Modelagem e Fabricação de Sabão


Os ingredientes  que são usados para se fazer sabão é basicamente uma mistura de sais de sódio e ácidos apraxos provenientes de substâncias graxas: sebo, amendoim, coco, palma, oliva, etc.
É muito fácil fazer. Tome uma colher de sopa de margarina e coloque numa latinha de conserva, até derreter. Adicione hidróxido de sódio (NaOH) a 25% - mais conhecido como soda cáustica – aos pouquinhos, misturando sempre com um palitinho de sorvete (você pode encontrar esta substância em casas revendedoras de produtos químicos, ou mesmo falando com seu professor de química). Ponha o material em um modelo e deixe esfriar. E pronto! Temos um sabão caseiro!
Quimicamente, o que ocorreu foi uma reação do éster de ácido graxo contido na margarina com hidróxido de sódio. Esta reação chama-se saponificação, é um tipo de reação orgânica e é feita em grande escala nos laboratórios produtores de sabão.
Éster + Base -> Sal de Ácido Graxo (ou sabão) + Glicerol (ou Glicerina)

O que causa a ação limpadora do sabão é por causa da química que encontramos nele, existem vários tipos de tipo de sabão: Sabão em pedra, sabão líquido, sabão em pó, sabonete, detergente, shampoo e condicionador. A diferença entre o um detergente e um sabão e a seguinte: O detergente é uma substância que purifica, ele é um tipo de sabão, afinal também serve para limpar.
Porém o sabão a que se referimos é o sabão de pedra mais utilizado em outras ocasiões, como lavar roupa a mão. No uso do sabão é provocado um fenômeno natural a espuma que é conjunto de bolhas que se formam à superfície de um líquido que se agita, se fermenta ou que se ferve.

História do Sabão

As origens do asseio pessoal remontam aos tempos pré-hitóricos. Já que a água é fundamental para a vida, os primeiros povos da pré-história devem ter vivido perto de água e, portanto, deviam ter algum conhecimento sobre suas propriedades de limpeza – mesmo que apenas para lavar o barro das mãos. As primeiras evidências de um material parecido com o sabão, registrado na história, foram encontradas em cilindros de barro (datados de aproximadamente 2.800 A.C.), durante escavações da antiga Babilônia. As inscrições revelam que os habitantes ferviam a gordura juntamente com cinzas, mas não mencionam para que o “sabão” era usada. Tais materiais foram mais tarde utilizados como pomada ou para pentear os cabelos. Os antigos egípcios tomavam banho regularmente. O uso farmacêutico do sabão encontra-se descrito no Eberts papyrus (datado de aproximadamente 1.500 A.C.) este tratado médico descreve a combinação de óleos animal e vegetal com sais alcalinos para formar um material semelhante ao sabão, usado para tratar de doenças da pele bem como para o banho. Mais ou menos na mesma época, Moisés entregou aos israelitas leis detalhadas sobre cuidados de limpeza pessoal. Ele também relacionou a limpeza com a saúde. Relatos bíblicos sugerem que os israelitas sabiam que a mistura de cinzas eóleo produzia uma espécie de pomada. Aparentemente os primeiros gregos não usavam sabão. Eles limpavam seus corpos com blocos de barro, areia, pedra pomes e cinzas e, em seguida, ungiam seu corpo com óleo e raspavam o óleo e a sujeira com um instrumento de metal conhecido como strigil. Eles também usavam óleo e cinzas. As roupas eram lavadas nos rios, sem o uso de sabão. De acordo com uma antiga lenda romana o nome “sabão” tem sua origem no Monte Sapo, onde se realizavam sacrifício de animais. A chuva levava uma mistura de sebo animal derretido com cinzas para o barro das margens do Rio Tigre. As mulheres descobriam que usando esta mistura de barro suas roupas ficavam muito mais limpas com muito menos esforço. Os antigos povos germânicos e gauleses também são reconhecidos como sendo descobridos de uma substâncias chamada sabão, feita de sebo e de cinzas. Eles usavam este material para tingir seus cabelos de vermelho.

Com a evolução da civilização romana, evoluiu também o conceito de banho. A primeira das famosas termas de Roma – com água vinda de seus aquedutos – foi construída ao redor de 312 A.C. As termas se tornaram símbolos de luxo e, muitas vezes, da decadência dos costumes. Já no século 2 D.C., o médico Galem recomendava sabão tanto para fins medicinais como para banho, a Europa sentiu o impacto da sujeira sobre a saúde pública. Esta falta de asseio pessoal aliada às condições de vida insalubres, contribuíram sobre maneira para as grandes epidemias da Idade Média e, em especial, para a Peste Negra do século 14. a fabricação do sabão era uma atividade estabelecida na Europa no início da Idade Média. As associações dos fabricantes de sabão guardavam seus segredos industriais a sete chaves. Óleos de origem vegetal e animal eram usados com cinzas de plantas e também fragrâncias. Gradativamente, uma maior variedade de sabão foi se tornando disponível para barbear e lavar a cabeça, bem como para o banho e lavagem de roupa. A Itália, a Espanha e a França estão sempre entre os primeiros centros de fabricação do sabão. Mais tarde esta indústria também se desenvolveu na Inglaterra. Em 1.622 o Rei James I concedeu, por $100.000 ao ano, o monopólio a um fabricante de sabão. Mais tarde, o sabão sofreu uma pesada carga tributária sendo taxado como item de luxo. O químico francês, Nicolas Leblanc, deu o primeiro grande passo rumo à fabricação comercial do sabão em larga escala. Seu processo (patenteado em 1.791) utilizava sal comum para produzir barrilha (carbonato de sódio), o elemento ativo encontrado nas cinzas, que se junta à gordura para fazer o sabão. Com este processo eram geradas quantidades de soda de boa qualidade a um baixo custo. Em meados de 1.800, o químico belga, Ernest Solvay, inventou o processo da amônia, onde também o sal comum era utilizado para fazer a soda. O processo da Solvay reduziu ainda mais o cusato da soda e aumentou tanto a qualidade quanto a quantidade de soda disponível para a fabricação de sabão.

 

ATIVIDADES  PRÁTICAS


ü  Esculpir um objeto numa barra de sabão.


ü  Decorar uma barra de sabão para dar de presente.


ü  Fazer uma cena a partir de sabão batido, usando pelo menos três cores.
Essa  cena será com no mínimo três cores , onde o desbravador deverá explicar qual a cena e o seu sentido.

Um comentário:

  1. mmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

    ResponderExcluir